Sobre o Autor

Gosto de me comunicar, expressar opiniões e mensagens inspiradoras de elevação espiritual. Sou uma pessoa de firmeza e tenho autoconfiança. Respeito e acolho a opinião dos outros, construir relações honestas e produtivas. Sou detalhista, tenho pré-disposição para ser criativo, respeito e admiração pelos animais e praticar o bem.

 

Read More

 

Entre na nossa lista e saiba Mais Floripa 

© 2023 by Going Places. Proudly created with Wix.com

  • White Facebook Icon
  • José Luiz Sardá

LAGOA DO PERI. CONHECER PARA PRESERVAR!

Fotos: Fundação Municipal do Meio Ambiente de Florianópolis - Floram




Criado por Lei Municipal em 1981, regulamentado um ano após sua criação e administrado pela Fundação Municipal do Meio Ambiente de Florianópolis (FLORAM), o Parque Natural Municipal da Lagoa do Peri, localizado no Sul da Ilha de Santa Catarina junto às praias da Armação do Pântano do Sul e Morro das Pedras com seus 20 km², é considerado como uma das mais importantes Unidades de Conservação de Florianópolis. 


A Lagoa do Peri de água doce está cercada pela Mata Atlântica abrigando diversas espécies de peixes, crustáceos e alguns jacarés. Este cenário belíssimo serve também como sítio de abrigos para alimentação, nidificação e reprodução a uma grande diversidade de espécies da fauna e flora, mas infelizmente, o pássaro macuco, o veado-mateiro e o papagaio-de-cara-roxa são alguns dos animais que já desapareceram da mata no entorno da lagoa.


Situada a 2 metros do nível do mar e com superfície de 5 km², a Lagoa do Peri é originária de uma antiga enseada bloqueada por processos naturais de sedimentação, oscilações do nível do mar e não recebe o influxo da água salgada, diferente da Lagoa da Conceição, onde ocorre a entrada de água do mar. Ao longo da década de 1970, percebendo-se a importância da preservação do manancial desta Lagoa, a carência de água potável no interior da Ilha e o aumento de demandas em função do acelerado processo de urbanização, sociedade civil, órgãos públicos e prefeitura se uniram e tomaram as primeiras iniciativas no sentido de resguardar esta preciosa e insubstituível reserva de água doce da Ilha de Santa Catarina. Em junho de 1976 através de Decreto Municipal toda área da bacia hidrográfica da Lagoa do Peri foi tombada como Patrimônio Natural com o objetivo de proteger os ecossistemas ali existentes por sua grande importância ecológica, paisagística e da bacia hidrográfica.


A vegetação original predominante é a floresta atlântica de encosta e de restinga, com espécies típicas de planícies arenosas que absorve a água das chuvas e sustenta a lagoa. A floresta abriga um dos poucos fragmentos de Mata Primária do Estado de Santa Catarina, como peroba, sapopema, pau óleo e guarapari são árvores centenárias de grande porte ainda intactas que resistiram à extração madeireira seletiva ao longo de décadas, como exemplos inéditos, um exemplar de garapuvu com 35 metros de altura com mais de 100 anos e uma canela-preta com mais de 3 metros de circunferência, 20 metros de altura e acima de 400 anos de vida, mantendo assim a estrutura qualitativa e quantitativa de espécies da Mata Atlântica. Ainda é possível encontrar estágios intermediários e avançados de regeneração, em locais onde ocorreram atividades agrícolas ou exploração de madeiras de valor econômico. Nas encostas dos morros se destacam importantes vertentes entre as principais; os rios Cachoeira Grande e Pequena e Ribeirão Grande. Na planície costeira, encontramos o Rio Sangradouro que deságua entre as praias da Armação e Matadeiro. 


A lagoa fornece água para abastecer o Sul da Ilha de Santa Catarina, por isso, a Lagoa do Peri tem importância vital para cada habitante e suas águas precisam ser utilizadas com muita responsabilidade. Faz-se necessário ter consciência, apoiar ações e programas de educação ambiental à conservação de todo este complexo ecológico, garantindo assim a boa qualidade da água que abastece milhares de pessoas no seu entorno e região. Importante destacar que desde 2015, a Lagoa do Peri confirmou pelo quarto ano consecutivo, entre as 4,2 mil localidades em 50 países o “Selo Bandeira Azul”, concedido às praias e marinas que cumprem um conjunto de 34 requisitos socioambientais, entre eles: limpeza, qualidade da água, ações ambientais, turismo sustentável, critérios relacionados à gestão ambiental, segurança e infraestrutura.


O título Bandeira Azul - Lagoa do Peri é de grande relevância ao meio ambiente, turismo e aos habitantes de Florianópolis, pois tem como objetivo principal elevar o grau de conscientização dos cidadãos e gestores públicos à necessidade de proteger o ambiente marinho e costeiro. Recentemente um Projeto Lei transformou a Lagoa do Peri em Unidade de Conservação da Lagoa do Peri de Parque Natural para Monumento Natural (Mona) que tem por objetivo preservar sítios naturais raros, singulares ou de grande beleza cênica, podendo ser em áreas particulares, desde que haja compatibilidade entre o os objetivos da unidade de conservação e do proprietário do local. 


As ameaças ao nosso meio ambiente são muitas, mas o controle sobre o Parque Natural Municipal da Lagoa do Peri se impõe aos interesses mais diversos, já que o serviço prestado pela Lagoa do Peri é muito mais valioso que o dinheiro potencialmente gerado por qualquer empreendimento que venha a comprometê-la, o que reforça o conceito de sustentabilidade e responsabilidade socioambiental. Façamos a nossa parte, a natureza agradece!

9 visualizações